close
5 dicas para sua startup contratar um advogado.
Empresas ou PME

5 dicas para sua startup contratar um advogado.

Para uma startup crescer e ser um sucesso, existem muito fatores. Um deles é a escolha correta de um escritório de advocacia que atenda às diversas necessidades jurídicas da empresa e consiga encontrar soluções específicas.

Muitas vezes, o resultado de uma escolha errada pode simplesmente significar o fim da empresa ou, ainda, torná-la menos atrativa para os investidores.

Com uma estrutura jurídica sólida, é bem maior a chance da startup receber investimentos de forma mais rápida e com desconto menor no valuation.

Enfim, advogados que entendam de negócios e e principalmente da estratégia do negócio são cruciais em qualquer fase da startup.

Por isso, é importante considerar alguns aspectos antes de partir para a contratação.

1 – Procure um escritório que tenha experiência no assunto. Geralmente o investimentos é um pouco alto, por isso você tem que incluir essa verba no seu planejamento e lembrar que essa é uma parte crucial da sua estratégia de crescimento;.

2 – Peça indicação para seus amigos empreendedores ou conhecidos que fazem parte do ecossistema de inovação e de startups, atualmente existem grandes bancas com área específica para atender as startups, ou escritórios que atendem apenas startups, inclusive com modelo de cobrança de honorários diferenciado.

3 – Se não encontrar um escritório para o seu bolso, considere buscar mais recursos, seja com seus investidores, seja de outra maneira.

4 – O seu advogado deve entender como se constrói uma empresa startup para poder traçar a modelagem jurídica adequada ao seu negócio. Só terminologias modernas não bastam.

5 – Raramente uma startup tem capital suficiente para pagar integralmente serviços jurídicos de um escritório tradicional. Por isso, busque um escritório que aceite trabalhar com uma remuneração variável, que cresça junto com a empresa.

Muitos advogados de startups falham porque entram na empresa somente em momentos críticos. O grande erro é quando a liderança da empresa cuida apenas do crescimento e deixa os aspectos legais em segundo plano para que advogados resolvam mais tarde.